Perfil Empresa

“Quem bebe da água de Gravatá não vai mais embora”. Ditado popular da região para mostrar que quem visita Gravatá fica por aqui de vez ou volta sempre.

A cidade de Gravatá está localizada na chapada da Borborema a 85 Km da capital Recife, com acesso pela BR 232.

Gravatá é um dos pontos turísticos mais procurados do estado por todos àqueles que querem descansar, passear, conhecer a região do agreste e do brejo de altitude e oferece aos turistas e visitantes, inúmeras opções de hospedagem, gastronomia, passeios e eventos que garantem uma estadia agradável, a satisfação da visita e a vontade de retornar.

Encravada na Serra das Russas, a 600m acima do nível do mar, Gravatá possui características particulares que a tornam única como a existência de dois biomas: o de semiárido e o de Brejo de altitude, um clima de montanha numa região tradicionalmente seca e quente.

Gravatá também possui um povo pacífico, ordeiro, receptivo e feliz que está sempre pronto a receber os turistas de braços abertos como a imagem do Cristo redentor que fica no Alto do Cruzeiro, um dos pontos de turismo do município.

Nós separamos nessa matéria 10 coisas que você pode fazer para curtir tudo que a cidade de Gravatá oferece aos turistas.

1ª – Conhecer as belezas da Serra das Russas

Você pode começar a sua estadia em Gravatá visitando a Serra das Rusas, parando no santuário de Nossa Senhora para os que são católicos, ou para admirar a beleza do planalto da Borborema no agreste do estado.

nossa senhora

foto: a voz da vitória

 

2ª – Tomar Café com queijos especiais

Saindo da Serra das Russas você dá uma parada pertinho do posto da PRF logo depois da saída do túnel e vai tomar um excelente café acompanhado de queijos especiais na Campo da Serra.

O espaço gastronômico oferece um delicioso café orgânico produzido nas terras altas de Taquaritinga do Norte além de outras opções oferecidas por parceiros que sempre se fazem presente no local.

campo da serra

 

3ª – Fazer um tour pelo centro histórico da cidade

Depois desse café agradável, em boa companhia, batendo um bom papo com apaixonados por Gravatá, você vai dar um mergulho na história do município e vai conhecer o centro histórico com seus casarios, lembrança da época de ouro dos curtumes e doados ao governo municipal por Joaquim Didier proprietário do curtume São José o maior da américa latina na década de 50.

O Paço Municipal (atual prédio da prefeitura), a Câmara de Vereadores, o Colégio das irmãs Salesianas, a Casa da Cultura, o Salão 3S, a estação do Artesão são casarios que lembram o período barroco e também colonial, ricos em detalhes, donos de uma beleza ímpar que encanta a todos que os visitam.

salesianas

4ª – Visitar o Alto do Cruzeiro

Depois de passear pelo centro da cidade você vai dar uma subidinha no Alto do Cruzeiro e conhecer um dos pontos mais bonitos de Gravatá. Uma imagem de um cristo redentor com 40m de altura, um cruzeiro e a igreja de São Francisco, além de bares e restaurantes compõem o cenário do Alto do Cruzeiro.

Você também pode conhecer o GAMR – Grupo de Apoio aos Meninos de Rua que desenvolve um trabalho social nas áreas de dança, arte e fotografia com crianças carentes da região e tem também uma pizzaria que funciona nos finais de semana a noite.

alto do cruziero

5ª – Caminhar pelo Polo Moveleiro

Ao descer do Cruzeiro você vai até o Polo Moveleiro de Gravatá, na rua Duarte Coelho conhecida como a rua do artesanato que reúne mais de 50 lojas com produtos da terra e também de outros estados, além dos móveis rústicos que originou o nome do espaço.

Uma das lojas famosas do local é a Artes da Serra que fica no número 167 da rua, especializada em mantas, redes, crochés, tapetes e cortinas confeccionados em teares manuais e feitos com algodão natural.

A noite no Polo você pode curtir bons momentos nos barzinhos, restaurantes e lanchonetes do local. Um desses é o Regional Grill especializado em comidas típicas da região e que sempre atrai um bom público.

 

polo moveleiro

6ª – Visita às reservas Ecológicas

Gravatá possui três reservas ecológicas a Karawatá na região do agreste, a área seca da cidade e duas na área molhada, ou brejo de altitude a da Serra do Contente e a Reserva Ambiental Florestas do Jussará a 5 Km e 15 Km do centro, respectivamente.

Lá você vai poder tomar banho nas fontes de água mineral, conhecer o plantio de flores que faz de Gravatá o segundo polo produtor de flores temperadas do Nordeste e também a produção de orgânicos que gerou a feira ecológica que acontece todo sábado junto da Igreja Matriz no centro e que também já acontece na capital Recife e em Olinda.

Vai observar pássaros e árvores nativas da região e caminhar por trilhas bucólicas e ricas em diversidade de fauna e flora e, quem sabe, vai ter a sorte de ver os caranguejos de brejo de altitude, isso mesmo caranguejos a 100 Km do mar e numa altitude de mais de 500m.

reserva jussará

 

7ª – Visitar a Pedra Branca

Situada na região do sítio Caboclo, que foi propriedade do fundador de Gravatá, Justino Carreiro de Miranda, que fica a 5 Km do centro da cidade, a Pedra Branca dá ao visitante uma vista panorâmica da região da chapada Borborema mostrando a cadeia montanhosa e rica em variedade do Brejo de Altitude.

 

8ª – Visita a Pedra Vermelha

Localizada no semi árido gravataense a Pedra Vermelha apresenta resquício dos primeiros habitantes de Gravatá, os índios carapotós e tapuias da serra, que deixaram as suas marcas em forma de desenhos rupestres nas pedras e nas grutas da localidade.

É uma viagem arqueológica e muito especial numa região inóspita e pouco habitada que nos remete aos primórdios da formação da região do agreste com seus répteis, seus animais típicos como o quati, raposa, além de aves como a seriema, o gavião e tantos outros, alguns, inclusive, já extintos.

9ª – Tomar banho nas cachoeiras da Palmeira

Se você quiser tomar um banho especial nas cachoeiras Agrestina então nada melhor do que se dirigir ao distrito de Palmeiras que fica a aproximadamente 20 Km do centro da cidade e é uma região rica em plantio de bananas que todo sábado enchem a feira de Gravatá.

cachoeira da palmeira

10ª – Visitar os haras de criação de cavalos

A cidade de Gravatá também é conhecida pela criação de cavalos de raça com destaque para a Quarto de Milha e Mangalarga Machador. Muitos haras estão instalados no município e oferecem belos exemplares das espécies em feiras, leilões e mercados.

Muitos eventos como vaquejada, cavalgada e cavalhada, acontecem rotineiramente na cidade e anualmente temos a Festa do Cavalo que atrai um bom público apaixonado pelos cavalos e por tudo que se relaciona com o mercado do cavalo.

festa do cavalo

Tudo isso você pode fazer em Gravatá que ainda realiza grandes eventos como o festival do Jazz no carnaval, a Semana Santa, o São João e o Natal Luz.

Por tudo isso, você não pode deixar de conhecer essa cidade com seus chalés, seu relevo montanhoso e seu clima frio que é considerado o 5º melhor micro clima do mundo pela OMS (Organização Mundial de Saúde)

Venha passar o Carnaval em Gravatá, lugar de gente feliz e se você optar por ter uma casa na cidade é só acessar a www.rota232.com.br e entrar em contato com Tomaz de Aquino, jornalista e corretor de imóveis pelo e-mail: tomazdeaquino@rota232.com.br.

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.
Câmbio
Dolar R$ 3,75
Café Rota 232 ir para o canal
Curta nossa página