Perfil Empresa

O PHS tomou uma decisão histórica e corajosa que foi abandonar o palanque da Frente Popular, que para muitos representa a situação, em função do prefeito Ozano Brito ter preferência pelo candidato do PTB Bruno Martiniano e ingressar na chapa do ex-prefeito Joaquim Neto PSDB que agora representa a oposição de Gravatá.

Lucas Leal não tomou uma posição isolada, discutiu a nível estadual com os dirigentes do partido, debateu a nível local com os filiados e com os pré-candidatos a vereador e por fim ouviu alguns amigos sobre a situação que para ele estava se tornando insustentável ao lado de Bruno Martiniano.

Ele lamentava o fato de ter sido Leal, não apenas no nome, mas também nas ações com relação ao grupo do qual fazia parte e nunca ter recebido o reconhecimento e o respeito do candidato petebista. Lembrou que foi secretário da juventude da gestão do ex-prefeito Sebastião Martiniano Lins, pai do candidato do PTB, que o apoiou em todas as eleições de 2004 para cá e nunca foi chamado para participar de qualquer decisão a ser tomada.

Levou esta preocupação aos seus colegas de partido que também vinham insatisfeitos com a falta de atenção dessa Frente da Situação de Gravatá e ficou surpreso ao perceber que a maioria absoluta, absoluta mesmo não queria caminhar com Bruno Martiniano e gostaria de entrar de cabeça na campanha do candidato da oposição Joaquim Neto do PSDB.

O único problema que Lucas Leal temia enfrentar seria a posição do candidato a vereador Flávio Martiniano, tio do candidato Bruno Martiniano do PTB. Entretanto, depois de conversar com o advogado Flávio Martiniano ficou mais tranqüilo para aderir ao palanque do PSDB porque o próprio tio não agüentava mais tanta desatenção por parte de seu sobrinho.

Flávio Martiniano chegou a dizer que Bruno Martiniano só pensa em eleger a ele como prefeito e ao seu irmão Pedro Martiniano como vereador, o resto é somente cauda. Com esta posição de Flávio Martiniano que afirmou numa conversa com Joaquim Neto que nada tinha contra ele, a aliança estava fechada.

Para consolidar a soma no conjunto de forças da oposição e mostrar que tinha também o respaldo da direção estadual e nacional do partido para fechar coligação com o PSDB, Lucas Leal trouxe o presidente estadual e vereador por três mandatos de Jaboatão, José Belarmino para uma visita a Gravatá e também para avalizar a decisão do PHS de Gravatá de caminhar junto com o PSDB em direção à prefeitura de Gravatá a partir de 2013.

Evidentemente que esta situação fortalece e muito o palanque da oposição que englobou no seu programa de governo algumas propostas do PHS como a criação da secretaria da juventude e também porque a oposição passa a contar com mais 17 candidatos a vereadores do PHS, que lutarão junto com Lucas Leal, para fazer uma boa bancada e assim ajudar Joaquim Neto do PSDB a fazer uma boa gestão, caso venha a ser eleito no próximo dia 7 de outubro prefeito de Gravatá.

Fonte assessoria do PHS

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.
Câmbio
Dolar R$ 5,46
Euro R$ 6,65
Café Rota 232 ir para o canal
Curta nossa página