Perfil Empresa

Canndidatos coneçam a se movimentarem.

Joaquim Neto reúne 74 candidatos a vereadores de sua coligaçāo para um Jantar a fim de que todos se conhecessem. No encontro Joaquim Neto alertou  para nāo acreditarem em boatos e lutar para vencerem as eleições.

Bruno Martiniano foi ao mercado tomar  café da manhā acompanhado de Pedro Martiniano e de Maria do Carmo candidatos a vereadores pelo PRB e pelo PTdoB respectivamente.

Charles da Madeireira foi a almoçar na sorveteria Alvorada e como sobremesa uma conversa com Cuíca para obter o seu apoio.

 

 

 

 

 

Chegou ao blogdotomaz a informação de que 3 dos doze candidatos a vereadores do PP, que recentemente declararam apoio a Bruno Martiniano,  desistiram de disputar a eleição.

São eles Geovane da água mineral, Nando dos Esportes e Pudim empresário de eventos. Com essa baixa fica difícil aos outros candidatos atingirem o quociente eleitoral que este ano deve ficar em torno de 3.200 votos. O que implicaria que cada um dos restantes deveria ter no mínimo 250 votos.

A dificuldade se dá por conta do PP não ter se coligado com nenhum partido saindo em faixa própria o que fará com que os candidatos restantes se esforcem muito mais para atingir os seus objetivos, prinxcipalmente porque há rumores de que Ciro Matotáxi, um dos fortes candidatos a vereador do partido também desistiria.

Conversamos com Marcone Bezerra para mais detalhes, mas ele afirmou que até agora o partido ainda não recebeu nenhum comunicado oficial. Caso se confirme a informação perde o PP e campanha de Bruno Martiniano, porque uma coisa é ter um candidato a vereador pedindo voto para ele e para o candidato a prefeito e outra é ter mais um votante na campanha.

A política é realemnte fantástica e muda a toda hora. O discurso do PP se baseava em fazer pelo um vereador. Para isso não podia se coligar com ninguém e deveria sair sozinho, lançando um candidato laranja para prefeito e outro para vice.

Isto foi feito e uma majoritária de mentirinha foi montada para dar sustentação às candidaturas proporcionais. Como não houve consenso entre os candidatos a vereador para apoira um dos dois candidatos a prefeito Bruno ou Joaquim, decidiu-se que cada um ficava livre para apoiar a quem quisesse. Uma parte foi para Bruno e outra para Joaquim, mas o sentimento de unidade proporcional permanecia, porém agora parece que acabou e o tão sonhado sonho do PP de ter uma representação na câmara ao que parece vai ser adiado, a naõ ser que os que ficarem atinjam o quociente de 3.200 votos.

PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

Promotoria de Justiça da 30ª Zona Eleitoral – Gravatá e Chã Grande

 

RECOMENDAÇÃO  ELEITORAL   N° 002/2012

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, por sua representante infra-assinada, Promotora de Justiça da 30ª Zona Eleitoral, no uso das suas atribuições que lhe são conferidas pelos arts. 127, “caput” e 129, III, da Constituição Federal; art. 27, parágrafo único, IV, da Lei Federal n° 8.625/93 e art. 5°, parágrafo único, IV, da lei Complementar Estadual n° 12/94, e pelo Código Eleitoral;

CONSIDERANDO a Lei n. 4.737/1965 – Código Eleitoral, a Lei n. 9.504/97 e a Resolução TSE n. 23.370/2011 – Instrução nº 1162-41.2011.6.00.0000 – CLASSE 19 – BRASÍLIA – DISTRITO FEDERAL, relativamente à propaganda eleitoral às condutas ilícitas em campanha eleitoral nas eleições de 2012;

CONSIDERANDO ser assegurado aos partidos políticos e às coligações o direito de instalar e fazer funcionar alto-falantes ou amplificadores de som, nos locais referidos, assim como em veículos seus ou à sua disposição, desde que com a observância da legislação comum, inclusive quanto aos limites do volume sonoro (arts. 1º, 9º Res. TSE 23.370/2011).

CONSIDERANDO que o art. 13, VI, da Res. TSE 23.370/2011, veda expressamente a propaganda “que perturbe o sossego público, com algazarra ou abuso de instrumentos sonoros ou sinais acústicos”, “respondendo o infrator pelo emprego de propaganda vedada e, se for o caso, pelo abuso de poder” (Código Eleitoral, arts. 222, 237 e 243, I a IX, Lei 5.700/71 e Lei Complementar n. 64/90, art. 22);

CONSIDERANDO a importância da atuação preventiva nas questões atinentes à poluição sonora na busca da compatibilização das diversas e complexas atividades humanas com a garantia da segurança, do sossego e da saúde das pessoas;

CONSIDERANDO que vigora no Estado de Pernambuco um Termo de Cooperação Técnica para o permanente enfrentamento pelo Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria Pública, Secretaria de Defesa Social e DETRAN-PE das mais diversas questões em torno da poluição sonora, no âmbito de todo o território do Estado;

CONSIDERANDO que a propaganda por meio de instrumentos sonoros, especialmente através dos notoriamente conhecidos “carros de som”, é amplamente utilizada nos períodos de campanha eleitoral, para a divulgação de candidaturas e de plataformas políticas por quase todos os candidatos, em todo o território nacional;

CONSIDERANDO que a cada período eleitoral ocorre um notório e significativo aumento de denúncias relativas a emissão exacerbada de sons e ruídos em razão de uma forte atuação clandestina e das dificuldades de fiscalização e controle pelo Poder Público, o que acaba até mesmo impossibilitando ou pelo menos dificultando a aceitação e a compreensão de qualquer das inúmeras simultâneas mensagens passadas pelos candidatos por esse meio de divulgação;

CONSIDERANDO que a utilização pública de instrumentos sonoros em frequência e quantidade excessivos constitui perigo para o trânsito e à saúde de condutores e pedestres e gera comportamentos negativos diversos nas pessoas afetadas, vulnerando a segurança pública;

CONSIDERANDO que a poluição sonora é uma das mais significativas formas de degradação ambiental encontrada nos centros urbanos, resultando em perda da qualidade de vida, inclusive em face do grave problema de saúde pública que representa: de acordo com vasta literatura científica já produzida e atualizada, o problema interfere, direta ou indiretamente, no sono e na saúde em geral das pessoas, produzindo estresse, perturbação do ritmo biológico, desequilíbrio bioquímico, aumentando o risco de enfarte, derrame cerebral, infecções, osteoporose etc;

CONSIDERANDO que, para efeito de comprovação dos delitos relacionados à poluição sonora (art. 42, da Lei das Contravenções Penais e 54, da Lei de Crimes Ambientais), o uso do decibelímetro é desnecessário, sendo relevante a prova testemunhal e/ou documental (art. 158, CPP);

CONSIDERANDO que a propaganda eleitoral em foco é a única forma de publicidade imposta aos eleitores e que o art. 5º da Constituição Federal assegura que “a casa é asilo inviolável do indivíduo…”, sendo que os sons e ruídos indesejáveis representam uma forma de violação desse direito e garantia fundamental;

CONSIDERANDO as orientações contidas na Cartilha intergovernamental “Poluição sonora – Silento e o Barulho” e no endereço site “www.somsimbarulhonao.com.br”, sobre as condutas relacionadas à produção de sons e ruídos, bem como que o material está disponível livremente;

CONSIDERANDO que, enquanto fonte potencialmente poluidora, a propaganda eleitoral por meio de instrumentos sonoros está sujeita a todas as regras legais do conjunto do ordenamento jurídico nacional, estando por isso sob o prisma não apenas das leis eleitorais, mas submetida a toda a legislação brasileira atinente a esse tipo de atividade humana;

CONSIDERANDO que, no Estado de Pernambuco, as normas que tratam da proteção do bem-estar e do sossego públicos estão dispostas na Lei nº 12.789/05, incumbindo ao Poder Público Municipal a responsabilidade de fiscalizar e fazer cumprir a Lei, no âmbito do seu território;

CONSIDERANDO que, na ausência fiscalizatória da municipalidade, está autorizada a fazê-la a polícia militar e que isso vem apenas a somar tal atribuição administrativa às demais incumbências da tropa, uma vez que, além de infração administrativa, a poluição sonora e a perturbação do sossego se constituem em infrações penais, aspecto que inclui, ainda, a atuação da polícia judiciária;

CONSIDERANDO por fim, a Recomendação Conjunta – PRE/PGJ Nº01/2012,  a qual recomendou a todos os Promotores Eleitorais que adotem todas as medidas judiciais e extrajudiciais pertinentes que se fizerem necessárias no que se refere aos termos da presente Recomendação,

RESOLVE RECOMENDAR, quanto à propaganda eleitoral por instrumentos sonoros:

I. ÀS COLIGAÇÕES, AOS CANDIDATOS A CARGOS ELETIVOS NAS  ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE GRAVATÁ E CHÃ GRANDE, AOS PROPRIETÁRIOS DE CARROS DE SOM E AOS QUE PRETENDAM REALIZAR PROPAGANDA ELEITORAL POR MEIO DA EMISSÃO DE SONS E/OU RUÍDOS que:

a. se abstenham de instalar alto-falantes, cornetas ou outras fontes de emissão de ruídos em qualquer área pública ou, em se tratando de área privada, de modo a alcançar área pública, ainda que em níveis de pressão sonora considerados baixos, sem que disponham de prévia autorização específica do Poder Público (princípio da precaução; art. 60, da Lei n. 9.605/98);

b. se abstenham de utilizar caixas de som, instrumentos musicais ou equipamentos sonoros de qualquer natureza em veículos em geral (art. 96, CTN), sem as devidas autorizações do Poder Público, inclusive do órgão de trânsito, ou em desacordo com eventual autorização concedida (princípio da precaução; art. 60, da Lei n. 9.605/98);

c. adotem as medidas necessárias para garantir o eficaz isolamento acústico dos imóveis onde serão realizadas festas, reuniões ou outras atividades potencialmente ruidosas, de modo a manter a propagação de ruídos no interior de tais logradouros, ainda mediante a devida e específica autorização do Poder Público (princípio da precaução; art. 60, da Lei n. 9.605/98);

d. conheçam do conteúdo da Cartilha intergovernamental “Poluição sonora – Silento e o barulho” e do site “www.somsimbarulhonao. com.br”;

II. ÀS PREFEITURAS MUNICIPAIS DE GRAVATÁ E CHÃ GRANDE, que:

a. na concessão das autorizações referidas nos itens “a” usque “c”, do item “II”, da presente, estejam atentas a todas as normas técnicas e legais pertinentes à matéria, de modo que a licença ambiental concedida esteja efetivamente apta a prevenir a ocorrência de poluição sonora e de perturbação do sossego;

b. no que se refere a concessão de autorização para a realização de propaganda por meio de veículos, que observem o disposto na Resolução CONTRAN n. 35/98 e exijam, como uma das condicionantes à concessão, o que ali está disposto e, ainda, a autorização prévia do DETRAN-PE;

c. conheçam do conteúdo da Cartilha “Poluição sonora – Silento e o barulho”, disponível no endereço eletrônico: www.somsimbarulhonao. com.br;

DETERMINAR a remessa de cópia da presente Recomendação:

a) aos Partidos, Coligações, Juiz Eleitoral da 30ª zona, Prefeituras e Câmara dos Vereadores dos Municípios de Gravatá e Chã Grande ;

b) à Polícia Militar, à Guarda Municipal, ao DETRAN;

c) ao Exmo. Procurador-Geral de Justiça, à Procuradoria Regional Eleitoral, bem como ao Conselho Superior, à Corregedoria Geral do Ministério Público do Estado de Pernambuco  para fins conhecimento;

d) ao Secretário Geral do Ministério Público do Estado de Pernambuco, por meio magnético, para que se dê a necessária publicidade no Diário Oficial do Estado.

e) aos blogs e rádios locais, para fins de divulgação.

 

Publique-se. Registre-se e cumpra-se.

Gravatá, 06 de julho de 2012.

FERNANDA HENRIQUES DA NÓBREGA

Promotora de Justiça

Tudo que eu disse até agora sobre a candidatura de Joaquim Neto se confirmou e ele vai ser candidato a prefeito de Gravatá nas próximas eleições quem esperava tirá-lo do páreo no tapetão dançou.

Vai ter que enfrentá-lo nas urnas.

Até o blogdomagno já deu a notícia.

O ex-prefeito de Gravatá, Joaquim Neto(PSDB), saiu da lista dos fichas sujas e está apto para disputar a Prefeitura nas eleições deste ano. O processo a que respondia – uma ação proposta pelo Ministério Publico Eleitoral no ano de 2010, que impugnava sua candidatura a deputado estadual, tendo como fundamento o mesmo processo do TCE constante da relação provisória – já foi julgado e ele absolvido em 04 de agosto de 2010. A decisão assim dispõe:

ACORDAM os Senhores Desembargadores do Tribunal Eleitoral Regional de Pernambuco, por maioria, em REJEITAR a impugnação ao pedido de registro da candidatura, e por conseqüência, DEFERIR o pedido de registro do candidato Joaquim Neto de Andrade Silva, nos termos do voto do Desembargador Relator, que passa a integrar o presente Acórdão. Portanto, inexistem motivos para que o registro de sua candidatura a prefeito de Gravatá não seja deferido, tendo em vista o julgamento pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco”.

A presidente do Tribunal de Contas do Estado, ex-deputada estadual Tereza Dueire, explica que a lista encaminhada pelo órgão que dirige ao Ministério Público contendo o nome de centenas de gestores, cujas contas apresentam irregularidades, tem como objetivo a análise por parte do MPPE em conjunto com o Tribunal de Justiça, dos casos que apresentem indícios de desvio de recursos públicos.

Caso comprovadas situações de apropriação indébita que caracterizem improbidade administrativa, haverá o julgamento pelos dois órgãos (órgão colegiado = mais de um juiz) e será proferida a sentença sobre a conduta do gestor investigado, relatado e julgado.

Já o Procurador Regional Eleitoral, Dr. Edílio Magalhães comunica que está esperando a publicação no Diário Oficial de todos os registros de candidaturas às eleições de 2012, para então proceder o julgamento de caso a caso, sobre as denúncias que pesam sobre cada um dos candidatos  que constarem da lista do TCE, do Tribunal de Justiça, e do Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Nos casos em que houver claros indícios de corrupção, desvio de dinheiro, apropriação indébita e outros crimes civis, serão declarados inaptos e não poderão se candidatar às eleições de 2012, podendo então serem declarados Fichas Sujas. Cabe destacar que muitos desses processos ainda esperam o julgamento do parecer do Tribunal de Contas do Estado pelas câmaras municipais, o famoso “Julgamento Político”.

Como o único processo que consta da lista sobre o ex-prefeito Joaquim Neto é o de número TC nº 0500325-8 e, segundo nota do PSDB local, este processo já foi arquivado o ex-prefeito já foi julgado e foi considerado apto desde 2010, quando disputou para deputado estadual.

Diante destes fatos torna-se necessário esclarecer à população que com relação ao processo TC nº 0500325-8 não existe nenhum impedimento que possa impedir o TRE de dar o registro da candidatura do ex-prefeito Joaquim Neto.

“Quem quiser derrotar o ex-prefeito de Gravatá nas eleições de 2012, vai ter que ser no voto, porque no tapetão ele já ganhou”. Afirmam em uníssono os coordenadores da campanha do ex-prefeito.

Agora é definitivo Gravatá tem três candidatos a prefeito disputando a eleição.

O empresário Charles da Madeireira assumiu a candidatura a prefeito nas eleições de 2012 e passa a ser a terceira via. Com esta decisão a eleição de Gravatá conta agora com Bruno, Joaquim e Charles da Madeireira disputando o cargo máximo da cidade.

Para compor a sua chapa como vice foi colocado o ator e diretor da Paixão de Cristo de Gravatá Janjão que vai buscar no meio artístico os apoios necessários para levar Charles para a prefeitura.

Já Charles da Madeireira vai buscar apoio nos amigos, nas famílias gravataenses e nos empresários que acreditam no seu potencial.

Será uma campanha interessante porque Charles da Madeireira é o único que é filho natural de Gravatá. Bruno é de Recife e Joaquim de Surubim. Portanto, vamos poder conferir se eé verdadeiro o discurso daqueles que cobravam um filho de Gravatá na disputa e agora que já existe um, vamos ver se essa turma vai apoiá-lo.

TCE solta, finalmente, lista de fichas sujas de Pernambuco. Veja aqui no Blog de Jamildo

A lista dos contas-sujas de Pernambuco indica os que correm risco de não poder concorrer nas eleições municipais deste ano, caso sejam candidatos. A lista oficial de quem não poder concorrer será divulgada posteriormente pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE), quando julgar os pedidos apresentados eventualmente pelo Ministério Público Eleitoral.

O fato de um gestor estar com o seu nome na lista não significa, necessariamente, que estará inelegível às próximas eleições. O procurador eleitoral garante que só impugnará candidaturas de quem de fato esteja envolvido em improbidade administrativa.

A lista foi enviada hoje pelo corregedor do Tribunal de Contas, conselheiro Carlos Porto, ao presidente do TRE, desembargador Ricardo Paes Barreto e inclui os gestores públicos estaduais e municipais que tiveram contas rejeitadas nos últimos 8 anos por irregularidades insanáveis.

Com 197 páginas e mais de 1.300 nomes, podemos destacar a grande quantidade de nomes vinculados à Companhia de Serviços Urbanos do Recife (CSURB), com 12 “contas-sujas” da companhia. .

Há também membros das Câmaras Municipais de Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Buíque, Caetés, Igarassu, Escada, Lajêdo, Ibirajuba, Macaparana, Paudalho, Salgadinho, Tabira São Bento do Una e Santa Cruz da Baixa Verde.

Até o final da noite de hoje o PSDB de Joaquim Neto pode receber o apoio de mais um partido o PSC de Charles da Madeireira que segundo uma fonte do blogdotomaz.com.br estaria avaliando a possibilidade de adiar o seu projeto de ser candidato a prefeito por mais algum tempo.

Assediado por Bruno Martiniano, que enviou um emissário – um vereador  – que em nome de Bruno prometia secretarias a Charles da Madeireira para que ele aderisse à campanha do candidato petebista.

Charles da Madeireira escutou em silêncio e em silêncio permaneceu até agora.

Se analisarmos pelo lado da amizade, da afinidade e da vontade dos amigos de Charles da Madeireira ele irá direto para o ninho tucano, apoiar o candidato do PSDB Joaquim Neto. Portanto, a qualquer momento Charles poderá declarar apoio a Joaquim Neto.

Caso decida manter sua candidatura merece um prêmio pela sua coragem de entrar no meio desse tirtoteio entre azul e vermelho que não vai faltar bala nem de um lado e nem de outro.

“O que todo mundo já sabia está na lista do TRE: Joaquim Neto é ficha suja” disse o jornalista.

PSDB envia nota desmentindo a informação.

Um blog da cidade publicou mais uma nota afirmando que Joaquim Neto era ficha Suja, baseado numa lista que o Tribunal de Contas do Estado encaminhou ao Ministério Público para analisar os casos e depois proferir sentenças sobre quem seria inelegível ou não.

Mais uma vez o blog usa de artifícios condenáveis para tentar iludir a população e beneficiar um candidato a prefeito, acusando de forma precipitada o candidato do PSDB, a prefeito no pleito de 2012.

Serei o primeiro a fazer uma matéria no blogdotomaz.com.br e no jornal Rota232 na hora em que sair a condenação de qualquer candidato de Gravatá, desde que o processo seja transitado em julgado e não caiba mais recursos.

Mas em hipótese nenhuma venderei ilusão à população. Não estou aqui dizendo que seja inverídica a existência de irregularidades, porém é preciso saber se estas irregularidades são de fato passíveis de condenação e da perda do direito de ser candidato.

Ter processos no Tribunal de Contas do Estado ou em qualquer outra instância não é sinônimo de inelegibilidade e não conheço nenhum prefeito que após o seu mandato não fique respondendo processos. E com certeza o próximo prefeito de Gravatá seja ele Bruno ou Joaquim vão ter processos para responder.

Isto eu vou provar ao final do mandato de um dos dois.

Ninguém merece ser acusado sem que o seu processo tenha chegado ao final ou pior sob acusação indevida. Vários casos de denúncias sem fundo de verdade me vem à memória e me preocupa quando um veículo de comunicação, por questões pessoais, possa perder o tino da comunicação ética e passe a fazer um joguinho de intrigas e fofocas que não ajudam a democracia. Nós que fazemos comunicação temos uma grande responsabilidade com a opinião pública e é esta responsabilidade que deve nos guiar e nos pautar.

Todos nós sabemos que o médico quando mata alguém, essa pessoa morre de verdade. Mas, nós jornalistas quando matamos alguém, a pessoa fica viva. Porque destruímos não a vida, mas os projetos de futuro.

Vamos esperar que esses processos sejam concluídos para que possamos informar à população sobre as suas decisões definitivas. Qualquer coisa fora disso é casuísmo, é briga de comadres e a população de Gravatá não merece isso.

Por hora fico com o que diz a nota do partido do ex-prefeito Joaquim Neto.

Esta para mim é a nota oficial.

Publico abaixo a nota do PSDB a respeito da matéria publicada naquele blog mais uma vez de forma enganosa.

Por Tomaz de Aquino

 

DIREITO DE RESPOSTA DO DIRETÓRIO DO PSDB DE GRAVATÁ.

Novamente o PSDB de Gravatá apresenta para concorrer às eleições municipais de 2012 o Ex-Prefeito Joaquim Neto. Todos na cidade de Gravatá já o conhecem e sabem de sua capacidade administrativa. Quanto esteve à frente da Prefeitura, realizou diversas obras estruturadoras, que transformou nossa cidade.

Diante da possibilidade do Ex-Prefeito Joaquim Neto voltar a governar Gravatá, seus opositores continuam requentando matérias jornalísticas, no intuito de enganar o povo.

Novamente, o Senhor Claudio Castanha, tenta de forma pouco ética, espalhar noticias inverídicas sobre o nosso candidato. Os nomes que constam na Lista do TCE não quer dizer que todos não poderão ser candidatos. Assim, O Ex-Prefeito Joaquim Neto, será sim Candidato, tendo em vista que o Processo TC nº 0500325-8, publicado em 23/10/2008 já se encontra arquivado.

Contudo, ressaltamos que o ex-prefeito de Gravatá já foi julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Pernambuco em ação proposta pelo Ministério Publico Eleitoral no ano de 2010, sob o Processo nº 2184-97.2010.6.17.0000, que impugnava sua candidatura a Deputado Estadual, tendo como fundamento o mesmo processo do TCE constante da relação provisória.

O processo de impugnação a candidatura foi julgado e publicado em 04 de agosto de 2010, com transito em julgado em 08/08/2010, a decisão assim dispõe:

ACORDAM os Senhores Desembargadores do Tribunal Eleitoral Regional de Pernambuco, por maioria, em REJEITAR a impugnação ao pedido de registro da candidatura, e por conseqüência, DEFERIR o pedido de registro do candidato Joaquim Neto de Andrade Silva, nos termos do voto do Desembargador Relator, que passa a integrar o presente Acórdão.

Portanto, inexistem motivos para que o registro de sua candidatura a prefeito de Gravatá não seja deferido, tendo em vista o julgamento pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

Assim, quero tranqüilizar o povo de Gravatá, que Joaquim Neto é sim candidato, para colocar a cidade na rota do desenvolvimento. Não nos furtaremos de enfrentar as forças que nunca fizeram nada pela nossa cidade, e não assume o medo de enfrentarmos nas urnas.

O PHS tomou uma decisão histórica e corajosa que foi abandonar o palanque da Frente Popular, que para muitos representa a situação, em função do prefeito Ozano Brito ter preferência pelo candidato do PTB Bruno Martiniano e ingressar na chapa do ex-prefeito Joaquim Neto PSDB que agora representa a oposição de Gravatá.

Lucas Leal não tomou uma posição isolada, discutiu a nível estadual com os dirigentes do partido, debateu a nível local com os filiados e com os pré-candidatos a vereador e por fim ouviu alguns amigos sobre a situação que para ele estava se tornando insustentável ao lado de Bruno Martiniano.

Ele lamentava o fato de ter sido Leal, não apenas no nome, mas também nas ações com relação ao grupo do qual fazia parte e nunca ter recebido o reconhecimento e o respeito do candidato petebista. Lembrou que foi secretário da juventude da gestão do ex-prefeito Sebastião Martiniano Lins, pai do candidato do PTB, que o apoiou em todas as eleições de 2004 para cá e nunca foi chamado para participar de qualquer decisão a ser tomada.

Levou esta preocupação aos seus colegas de partido que também vinham insatisfeitos com a falta de atenção dessa Frente da Situação de Gravatá e ficou surpreso ao perceber que a maioria absoluta, absoluta mesmo não queria caminhar com Bruno Martiniano e gostaria de entrar de cabeça na campanha do candidato da oposição Joaquim Neto do PSDB.

O único problema que Lucas Leal temia enfrentar seria a posição do candidato a vereador Flávio Martiniano, tio do candidato Bruno Martiniano do PTB. Entretanto, depois de conversar com o advogado Flávio Martiniano ficou mais tranqüilo para aderir ao palanque do PSDB porque o próprio tio não agüentava mais tanta desatenção por parte de seu sobrinho.

Flávio Martiniano chegou a dizer que Bruno Martiniano só pensa em eleger a ele como prefeito e ao seu irmão Pedro Martiniano como vereador, o resto é somente cauda. Com esta posição de Flávio Martiniano que afirmou numa conversa com Joaquim Neto que nada tinha contra ele, a aliança estava fechada.

Para consolidar a soma no conjunto de forças da oposição e mostrar que tinha também o respaldo da direção estadual e nacional do partido para fechar coligação com o PSDB, Lucas Leal trouxe o presidente estadual e vereador por três mandatos de Jaboatão, José Belarmino para uma visita a Gravatá e também para avalizar a decisão do PHS de Gravatá de caminhar junto com o PSDB em direção à prefeitura de Gravatá a partir de 2013.

Evidentemente que esta situação fortalece e muito o palanque da oposição que englobou no seu programa de governo algumas propostas do PHS como a criação da secretaria da juventude e também porque a oposição passa a contar com mais 17 candidatos a vereadores do PHS, que lutarão junto com Lucas Leal, para fazer uma boa bancada e assim ajudar Joaquim Neto do PSDB a fazer uma boa gestão, caso venha a ser eleito no próximo dia 7 de outubro prefeito de Gravatá.

Fonte assessoria do PHS

Câmbio
Dolar R$ 3,69
Euro R$ 4,23
Café Rota 232 ir para o canal
Vídeo
Vídeo
Curta nossa página