Perfil Empresa

Notícia não muito agradável para o mundo político (parte dele) traz Vera Magalhães, na sua coluna de hoje, na Folha de S.Paulo:

O TSE deve revogar hoje resolução que torna inelegíveis os candidatos que tiveram contas de campanhas rejeitadas. Os partidos recorreram da decisão do tribunal e, com a troca de Ricardo Lewandowski por José Antonio Dias Toffoli, a previsão é de placar de 4 x 3 para liberar os “contas sujas“.

E aqui em Gravatá?

Ora, nós sempre dissemos não acreditar que alguma coisa relacionada a contas rejeitadas, impedisse Joaquim Neto de ser candidato a prefeito mais uma vez e sempre afirmamos que não tínhamos nenhum documento de nenhum órgão que afirmasse que ele estava inelegível.

Lembro de um galego, ex-secretário de finanças que está sempre irado, falando alto, agredindo, sem educação que usou de uma verborragia sem limite para dizer que tinha um processo tal, um processo assim, um processo assado e Joaquim Neto não seria candidato.

Estou no aguardo apenas do registro da candidatura de Joaquim Neto, que se sair prova que ele não é Ficha Suja e aí quero ver a cara dos que me criticaram pelas mainhas matérias feitas em cima de dados concretos.

Joaquim neto vai disputar mais um mandato de prefeito e com todas as chances de ganhar a eleição, porque podem dizer o que quiser, mas o que conta são documentos e não vontades, são decisões judiciais transitadas em julgado e não emoções e ressentimentos.

Se a decisão exposta acima pela colega Vera Magalhães da Folha de São Paulo for confirmada é mais um passo que garante o registro da candidatura do tucano gravataense à prefeitura de Gravatá.

estaremos no aguardo desta decisão.

O presidente do PT Alexandre manda nota sobre a reunião de hoje a tarde para escolha de um novo nome para disputar a eleição  no lugar de Ozano Brito.

“O PT já entendeu e manifestou solidariedade a decisão do Prefeito. No entanto, não aguardamos outra decisão para nos posicionarmos nas Eleições de Gravatá. Somos um Partido que tem autonomia Política e partidária. Temos consolidado uma coligação de 05 Partidos que deverá tomar posição.”

 

 

O presidente do sindicato dos Trabalhadores Rurais de Gravatá, José Mário, comunica que não será candidato a vereador nas próximas e que prefere se dedicar ao sindicato, pois a política ainda precisa passar por uma grande mudança que requer tempo e que fazia parte de um projeto que incluía o prefeito Ozano Brito.

Com a desistência dele este projeto fica adiado.

Além disso Zé Mário explica que não pode deixar os agricultores de Gravatá na mão, pois eles depositaram a confiança deles na sua gestão. Então como é que ele vai abandonar os agricultores e se dedicar a outro projeto? “Como não é possível conciliar os dois, faço a minha opção pelo sindicato dos Trabalhadores Rurais de Gravatá”. Disse Zé Mário.

Aproveitando ele se solidarizou com o prefeito Ozano Brito, dizendo que entende os motivos de Ozano Brito para desistir de ser candidato neste momento e que estará do seu lado até o último dia de seu mandato.

Independentemente do caminho que o PSB tomar para as eleições de 2012, o vereador Fernando Rezende já decidiu o seu caminho: vai com Bruno Martiniano.

Ao que tudo indica o nome que deve ser escolhido como de consenso para ser o candidato do grupo de Ozano Brito às eleições de 2012, será o do vice prefeito João Paulo.

Ao se reunirem hoje a tarde no prédio de Fernando Pinheiro, os vereadores e presidentes de partidos não chegaram a um consenso e por isso outra reunião acontece amanhã as 14 horas na câmara de vereadores.

O nome que foi citado foi o do vice prefeito João Paulo e ao que tudo indica será o nome escolhido para enfrentar Joaquim Neto e Bruno Martiniano. João Paulo disse que essa é uma decisão que ele terá que conversar com a sua família e com o seu grupo, mas que não se furtará ao chamado do grupo para a disputa.

Portanto amanhã as 14 horas vamos saber quem é a terceira via de Gravatá.

 

Com a decisão de Ozano Brito de não se candidatar à reeleição, muda o quadro eleitoral de Gravatá e a eleição volta a ficar polarizada entre os dois principais candidatos: Bruno Martiniano e Joaquim Neto.

Os vereadores e os presidentes dos partidos querem lançar um nome alternativo e discutem essa possibilidade, para isso esperam contar com o apoio do prefeito Ozano Brito.

Como a criação de uma terceira via a quatro dias do prazo das convenções torna-se um projeto extremamente complexo na nossa opinião avaliamos que no final o que vai prevalecer é o apoio a um e outro candidato.

Isto é, um parte do grupo vai apoiar Bruno Martiniano e outra parte do grupo vai apoiar Joaquim Neto e quem leva vantagem com esta desistência de Ozano Brito é Joaquim Neto.

Com a decisão de Ozano Brito de não se candidatar à reeleição, muda o quadro eleitoral de Gravatá e a eleição volta a ficar polarizada entre os dois principais candidatos: Bruno Martiniano e Joaquim Neto.

Os oito vereadores da bancada da situação decidiram que vão lançar o nome de um deles como candidato a prefeito nas próximas eleições. Vão fazer uma pesquisa e o que estiver melhor posicionado será alçado à condição de candidato.

Para isso contam com o aval do prefeito Ozano Brito que vai apoiar o nome que for escolhido pelo grupo.

O problema vai ser saber o que pensa o grupo formado pelos presidentes dos partidos aliados de Ozano Brito. Vão aceitar o nome de um dos vereadores, vão lançar o nome de um dos presidentes, vão apoiar outro nome, ou vão se dividir na base do cada um por sí e Deus por todos nós.

Vamos aguardar.

Foi veiculada informação em alguns blogs e sites em especial no Blog do Magno e no Blog do Castanha  que o ex-prefeito de Gravatá  Joaquim Neto (PSDB) figura na relação provisória de gestores com contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco – TCE, em virtude de deliberação publicada em 23/10/2008, nos autos da Auditoria Especial Processo TC nº 0500325-8.

 

Contudo, ressaltamos que o ex-prefeito de Gravatá já foi julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Pernambuco em ação proposta pelo Ministério Publico Eleitoral no ano de 2010, sob o Processo nº 2184-97.2010.6.17.0000, que impugnava sua candidatura a Deputado Estadual, tendo como fundamento o mesmo processo do TCE constante da relação provisória.

 

O processo de impugnação a candidatura foi julgado e publicado em 04 de agosto de 2010, com transito em julgado em 08/08/2010, a decisão assim dispõe:

 

ACORDAM os Senhores Desembargadores do Tribunal Eleitoral Regional de Pernambuco, por maioria, em REJEITAR a impugnação ao pedido de registro da candidatura, e por conseqüência, DEFERIR o pedido de registro do candidato Joaquim Neto de Andrade Silva, nos termos do voto do Desembargador Relator, que passa a integrar o presente Acórdão.

 

Portanto, inexistem motivos para que o registro de sua candidatura a prefeito de Gravatá não seja deferido, tendo em vista o julgamento pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.  

No dia 23 (dia da fogueira de São João) Joaquim Neto acendeu a fogueira ao lado do Secretário de Turismo do Estado Alberto Feitosa (PR), serviu um jantar em sua propriedade (Gravatá) para os pré-candidatos a vereadores do partido.

Após o jantar de Joaquim Neto seguiram para o aniversário de João Carlos Paes Mendonça no condomínio Asa Branca onde encontraram com o Governador Eduardo Campos e no final da noite levou Alberto Feitosa para caminhar em comitiva pelo pátio de eventos seguindo até a casa da teacher´s .

O Secretário Estadual reafirmou seu apoio a Joaquim Neto e disse que precisava dele na Prefeitura. “ Joaquim realizou muitas obras em Gravatá, principalmente na área do Turismo. Deveremos lançar a obra da PE087 (Gravatá-Uruçu) em breve, o natal iluminado este ano faremos um bem maior e precisamos de Joaquim na prefeitura para termos a certeza que as obras irão acontecer , eu não poderia ser de encontro ao desenvolvimento desta cidade”.

Alberto Feitosa chegou em Gravatá por volta das 17:24 hrs e retornou por volta das 02:27 hrs da manhã.

Informa Flávio Martiniano pré-candidato a vereador pelo PHS que se Bruno Martiniano não ouvir o grupo, o PHS vai buscar outras alianças e não está descartada a coligação com o PSD de Ozano ou com o PSDB de Joaquim Neto.

Segundo Flávio Martiniano Bruno Martiniano não dá a atenção devida ao PHS e por isso o partido se sente liberado para buscar outros caminhos que garantam a sobrevivência do grupo e a eleição de vereadores da legenda.

Flávio afirma que é pré-candidato a vereador e que já conversou co m o presidente do PHS com quem está afinadíssimo e não vê nenhum problema em conversar com Joaquim Neto.

Câmbio
Dolar R$ 3,86
Euro R$ 4,42
Café Rota 232 ir para o canal
Vídeo
Vídeo
Curta nossa página