Perfil Empresa

Esta sem dúvida será a eleição mais difícil da vida de Joaquim Neto e ele terá que enfrentar 14 obstáculos.

Em primeiro lugar porque volta a enfrentar um adversário que já é por demais conhecido (Bruno Martiniano) a quem já derrotou por mais de uma vez. Todos sabemos quem em política “A Fila anda”. Há fadiga de material e o povo resolve mudar.

Em segundo lugar porque ele está sem a prefeitura.

Em terceiro lugar ele não conseguiu o apoio do governador Eduardo Campos (PSB) para o seu palanque e só ficou com Ana Pontual do PSB, porque o restante Fernando Resende e os Prequés foram para Bruno Martiniano e colocaram Rafael Prequé na vice.

Em quarto lugar já público e notório o apoio de Ozano Brito a campanha de Bruno Martiniano com a ida de todos os seus aliados para o palanque petebista. Foram todos: vereadores, suplentes e pré-candidatos do PCdoB, PTdoB, PTN, PTC, PT, PSD, PPS para a chapa Bruno e Rafael. A única exceção ficou por conta do PMDB e do PDT.

Em quinto lugar perdeu um apoio importante e significativo que foi o de Júnior de Paulo (PRP) que optou por lança a sua esposa como candidata a prefeita de Gravatá. Todos sabemos da força do presidente da Câmara e do trabalho que ele vai dar nessa campanha. Ainda não podemos afirmar de quem ele vai tirar mais votos se de Joaquim Neto ou de Bruno Martiniano.

Em sexto lugar não evitou o lançamento da candidatura de Charles da Madeireira com uma negociação que passava pela vaga de vice da sua chapa.

Em sétimo lugar vai fazer emergir todas as insatisfações das pessoas que não foram atendidas por ele quando prefeito, o que é natural, porque ninguém agrada a todo mundo, mas tem uns que são mais agradados do que outros.

Em oitavo lugar perde e muito na quantidade de candidatos ao pleito proporcional de 2012, bem diferente de 2004 quando era prefeito e de 2008 quando lançou o seu sucessor Ozano Brito que agora apóia Bruno Martiniano, mesmo que não seja de forma aberta.

Em nono lugar porque a única eleição que Joaquim Neto ganhou foi quando disputou a reeleição como prefeito, com a máquina administrativa na mão e com o governo do estado que era Jarbas Vasconcelos.

Em décimo lugar porque quando lançou Ozano Brito em 2008, o PTB e o PSB estavam brigados e isso impediu uma campanha com mais força do que teve, em função da divisão entre Prequé e Bruno que agora estão juntos.

Em décimo primeiro lugar porque Alberto Feitosa não trouxe o PR para o seu palanque e nem impediu o governador Eduardo Campos de se envolver na campanha de Gravatá permitindo o lançamento do vice do PSB na chapa de Bruno Martiniano.

Em décimo segundo lugar porque de nada adiantou o apoio que Joaquim Neto deu a Eduardo Campos para governador, se afastando da sua base tradicional: o PMDB, o DEM e entrando numa aventura que em nada resultou.

Em décimo terceiro lugar e do mesmo jeito que não deu em nada o seu apoio a Eduardo Campos, em nada deu também o seu apoio a Armando Monteiro Neto para senador. De que serviu? Não impediu do senado entrar pesado na campanha de Bruno Martiniano e colocar a máquina do PTB à disposição de Bruno Martiniano, contratando agência de propaganda, jornalista, marqueteiro, tudo para ajudar Bruno a conquistar a prefeitura de Gravatá.

Em décimo quarto lugar, não existe campanha sem financiadores e esta campanha de Gravatá vai ser a mais cara da sua história. Quem quiser ser candidato a prefeito com alguma chance de ver o seu nome crescer, vai ter que botar uma boa verba para fora: no mínimo R$ 2 milhões, isto só para arriscar.

Com certeza será o grande desafio de sua vida vencer contra tudo e contra todos. Vencendo será a sua consagração como o maior líder político da história de Gravatá em todos os tempos. Perdendo resvalará para a vala dos políticos comuns que só ganham quando estão com o poder na mão.

Portanto, são 14, pontos que Joaquim Neto terá que superar para poder mais uma vez dirigir os destinos dos gravataenses, isto é,  ou o Tucano come o Gato de uma vez,  ou o Gato vai arrancar as penas do Tucano uma por uma durante quatro anos.

A Vice e mais três secretarias

Dizem que a negociação de Júnior de Paulo PRP com Joaquim Neto PSDB não deu certo por que Joaquim Neto não aceitou o pedido de Júnior de Paulo que foi: a vice prefeitura para colocar sua esposa Sheila Cartaxo e mais três secretarias. Alguns aliados de Joaquim Neto estão muito chateados porque queriam que Joaquim Neto cedesse, pois temem a força de Júnior de Paulo na eleição.

PDT insatisfeito

Se for verdade que o prefeito Ozano Brito está influenciando a adesão de aliados seus, inclusive do PSD para comporem com Bruno Martiniano, isto vai gerar insatisfações na legenda pedetista, pois os seus líderes procuraram Ozano Brito quando ele desistiu de ser candidato e ele deu a palavra dele de que não interviria na escolha de ninguém, ou seja, todos estariam liberados para tomarem a decisão que melhor lhes conviesse. Poderiam apoiar qualquer candidato.

Entretanto, segundo pessoas que participaram das reuniões do PSD, não foi isso o que o prefeito fez e informaram que o prefeito indiretamente mostrava a sua preferência por Bruno Martiniano, facilitando a adesão de vereadores de seu partido ao candidato petebista. Como exemplo cita o vereador Agostinho que nem queria Bruno e nem Joaquim Neto e já apoiava Charles da Madeireira, segundo publicado no Portal GN e agora está com Bruno Martiniano.

Como fica o PR?

Os irmãos Charles Souza e Arnaldo Souza não conseguiram atingir os seus objetivos que seria o de um deles ser candidato a vice-prefeito: Charles Souza de Bruno Martiniano e Arnaldo Souza de Joaquim Neto, depois que Ozano Brito desistiu. Mas nem aconteceu lá no PTB que escolheu o PSB de Luiz Prequé e nem cá no PSDB que escolheu mais uma vez Danilo Melo.

Resta agora a pergunta: como fica o PR? Os dois vão caminhar juntos? Vão ficar com o mesmo candidato? Cada um vai para um lado? Ainda não sabemos, vamos aguardar.

Charles da Madeireira articula

Consciente de que pode somar mais um ou dois partidos na sua coligação e assim sair do isolamento, o empresário Charles da Madeireira não dorme a dois dias e está numa articulação frenética para ampliar as suas chances de vitória. Está neste momento negociando com Júnior de Paulo e Sheila Cartaxo e também procurando contato com Charles do Atacadão e com Arnaldo Souza.

Essa é uma oportunidade que ele não quer perder de jeito nenhum.

Concluídas as convenções de todos os partidos podemos agora desenhar com alguma exatidão o novo cenário político de Gravatá, embora ainda possam ocorrer mudanças até o dia cinco de julho.

No dia 29 foram realizadas as convenções do PSC de Charles da Madeireira e do PTB de Bruno Martiniano e no dia 30 foi a vez dos partidos PSDB de Joaquim Neto e Júnior de Paulo do PRP. Estou citando esses quatro partidos porque foram os que lançaram candidatos a prefeito para as próximas eleições.

O PSC de Charles da Madeireira

O Partido Social Cristão – PSC – nº 20, lançou o empresário Charles da Madeireira como candidato a prefeito tendo na vice a ambientalista e artista plástica Silvia Gonçalves. O partido conta ainda com mais de 20 candidatos proporcionais entre os quais destacamos: Sandro Eletricista, o humorista Babalu, Joab Motos, Zé gago, Joãozinho do Acordeom.

O PTB de Bruno Martiniano

O Partido Trabalhista Brasileiro – PTB – nº 14, lançou o filho do ex-prefeito Sebastião Martiniano Lins, Bruno Martiniano, como candidato a prefeito tendo na vice o filho do ex-prefeito Luiz Prequé, Rafael Prequé e uma coligação que conta com os partidos: PTB, PSB, PRB, PSD, PT, PcdoB, PtdoB, PTN, PTC, PSOL, PV, PSDC e PPS somando 13 legendas.

O PSDB de Joaquim Neto

O Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB – nº 45, lançou mais uma vez a chapa que dipsutou em 2004 e foi vitoriosa tendo na cabeça o ex-prefeito Joaquim Neto e na vice o ex-vice prefeito Danilo Melo. Da coligação fazem parte os seguintes partidos: PSDB, PDT, PMDB, PSL, PRTB, PHS, PPL, PNM, DEM, perfazendo um total de nove legendas.

O PRP de Júnior de Paulo

O Partido Republicano Progressista – PRP – nº 44, lançou a estudante de Direito Sheila Cartaxo como candidata a prefeita do município, sem ter ainda um nome para compor a sua chapa. O PRP sai sozinho também para proporcional.

Partidos que estão independentes:

O PR – Partido Republicano de Charles Souza do Atacadão e de Arnaldo Souza do Cesta Básica e o PP de Marcone Bezerra.

Este é o flash desse momento. Amanhã pode haver mudanças.

Com a proximidade da eleição nós vemos que várias famílias estão divididas com relação aos candidatos que vão apoiar.

Vão aí alguns exemplos:

1 – Seu Arão Lins e seu filho Zé Ricardo apóiam Bruno Martiniano. Já Arãozito e Paulinho apóiam Joaquim Neto.

2. O presidente do PPS Eliseu Vieira apóia Bruno Martiniano enquanto que sua filha Taciana e seu genro Wellington apóiam Joaquim Neto.

3. Charles do Atacadão do PR apóia Bruno, seu irmão Arnaldo Souza deve apoiar Joaquim Neto.

4. Ana  Pontual apóia Joaquim Neto, seu irmão Carlinhos apóia Bruno Martiniano.

Ainda existem vários outros casos de membros da mesma família apoiando candidatos diferentes, mas isso não significa que eles estejam se odiando, brigando, discutindo, de jeito nenhum. Pelo contrário, eles estão unidos, continuam convivendo e dando um exemplo aos eleitores de Gravatá que podem apoiar candidatos diferentes sem se odiarem, sem brigarem.

Fazendo uma campanha de paz, de harmonia e de tranquilidade.

Vamos fazer desta eleição um exemplo de cidadania e não de selvageria e primitividade.

A todos uma boa eleição.

Ontem informamos que o nome de Júnior de Obras estaria na lista de desfiliação do PPS, mas não está.

Júnior de Obras é candidato a vereador pelo PPS ao lado de Bruno Martiniano.

Aproveitando as homenagens a Luiz Gonzaga o Rei do baião pegamos o trecho clássico acima da música dele e aplicamos aqui em Gravatá, pois serve muito bem para ser parafraseado e cantado assim: Resende respeita Luiz Prequé.

Confirmando-se a indicação de Rafael Prequé para vice de Bruno Martiniano fica clara a vitória de Luiz Prequé sobre o vereador Fernando Resende que tentou a todo custo ser o vice de Bruno Martiniano e era o preferido do candidato petebista.

Mas na política nem sempre prevalece a vontade e a lógica e sim os interesses e as articulações e nesse momento as de Prequé que deve sair  para vereador são mais fortes do as de Resende.

Prego batido e ponta virada o vice do candidato do PSDB é Danilo Melo, será a repetição da chapa vitoriosa de 2004. Joaquim Neto e Danilo Melo.

Desfiliação em Massa do PPS

Eliseu Vieira tomou a decisão de se aliar a Bruno Martiniano sem discutir com os candidatos da legenda essa adesão.

Resultado: Maria da Saúde, Sílvia de Mandacaru, Júnior de Obras, Neguinho do Conselho, Mário Alves e Arãozito, filho de seu Arão Lins que está apoiando Bruno, levaram a lista com as suas desfiliações até o presidente do PPS,  Eliseu Vieira.

Além disto,  este grupo de pré-candidatos que não vão mais disputar a eleição decidiram em bloco apoiar a candidatura do ex-prefeito Joaquim Neto e Danilo Melo do PSDB.

Com a decisão de Charles da Madeireira de colocar o seu nome na disputa como candidato a prefeito de Gravatá, conforme foi definido na sua convenção que indicou Sílvia Gonçalves na vice, sendo portanto a primeira mulher a ser convidada para integrar uma chapa majoritária em Gravatá, num claro sinal de que Charles da Madeireira vai de fato inovar e criar história.

Para aqueles que só vêem a política daltonicamente (vermelho ou azul que misturando dá verde) e esta é a cor do PSC, não esqueçam que política se faz com votos. Na eleição passada Bruno Martiniano perdeu por 90 votos. E Luiz Prequé sem ser candidato teve 348 votos o que significaria a vitória de Bruno caso Prequé o tivesse apoiado.

A mesma coisa acontece agora, Joaquim Neto poderia ter convidado Charles da Madeireira para ser o seu vice, mas não fez outra opção, achando que Charles da Madeireira não iria ter a coragem de lançar o seu nome. Errou feio no seu prognóstico e gora vai ter que enfrentar Charles da Madeireira e Bruno Martiniano.

O livro A arte da Guerra nos ensina que quando temos dois inimigos, devemos nos aliar a um deles para derrotar o outro e depois nos afastamos daquele que veio ser nosso aliado, para poder derrotá-lo também. Assim Joaquim Neto de veria ter convidado Charles da madeireira para ser o seu vice e evitar deixar de ser prefeito por uma diferença abaixo de 1000 votos.

O número de votos é fixo. Não crescre. São aproximadamente 45 mil eleitores divididos para os três candidatos. A diferença entre um e outro vai ser pequena. Logo se Charles tiver apenas 1000 votos, o que é uma conta muito baixa, ele vai fazer com que um ganhe e outro perca.

Suponha que Bruno Martiniano tenha 20.930 votos e Joaquim  Neto 20.000 votos. O prefeito será Bruno Martiniano, entretanto, se Joaquim Neto estivesse com Charles da Madeireira poderia ter 21.000 votos e ganhar a eleição por 70 votos, o inverso também vale e pode ser aplicado para Bruno.

Portanto a definição de quem vai ser o prefeito de Gravatá vai passar necessariamente pela decisão de Charles da Madeireira de ter lançado o seu nome como candidato a prefeito de Gravatá.

Uma outra situação é Charles da Madeireira ter um bom discurso, articular a sua campanha de forma profissional, com bons profissionais e surpreender tendo um resultado inesperado. Já pensou o povo cansado do azul e do vermelho dar a carga no verde e ele ganhar.

Essa é a única surpresa da eleição: Charles da Madeireira ganhar, porque se ele perder não será surpresa para ninguém. Será o normal, o lógico. Agora ele ganhar, vai levar muita gente a loucura.

Não tem um vice mais adequado para Joaquim Neto do que Zeca da Charque, como foi ventilado no Portal GN.

José Joaquim de Lemos, mais conhecido como Zeca da Charque, é o pai do atual vice-prefeito João Paulo, que não quer disputar para vice novamente e prefere concorrer a um mandato de vereador. Zeca da Charque é um empresário bem sucedido do ramo de alimentos e preside a Associação Comercial e Industrial de Gravatá – Aciag, onde vem desenvolvendo um trabalho para a tração de investimentos para a cidade.

Como a relação do PDT com o PSDB (João Paulo – Joaquim – Zeca ) é muito boa, a candidatura de Zeca não sofreria restrições, nem serviria para dizer que Joaquim não tem nenhum vice para colocar.

Hoje a noite na convenção do PSDB vamos saber quem será o vice de Joaquim Neto e como disse antes a escolha do vice será fundamental para este início de campanha: quem escolher bem, sai bem e parte na frente.

Para quem não sabe, Ozano Brito ficou satisfeito com o não lançamento de um nome alternativo para ser candidato no seu lugar porque isso implicaria na necessidade dele apoiar este nome e não poder trabalhar nos bastidores para eleger Bruno Martiniano.

Com a não formação da terceira via Ozano Brito, nos bastidores, vem beneficiando a candidatura de Bruno Martiniano orientando os seus aliados, pelo menos aqueles que o seguem a apoiarem a candidatura de Bruno Martiniano e não irem para Joaquim Neto.

Tanto é assim que o PTdoB de Samy Lemos, o PTN de João Vascncelos, o PTC de Léo Giestosa e o PCdoB de Doca da Cavalhada e o PPS de Elizeu Vieira, só foram para Bruno Martiniano do PTB  depois de receber o aval de Ozano Brito. Já o PT foi por uma questão de afinidade com a Frente Popular do estado comandada pelo governador Eduardo Campos.

Assim teremos nesta eleição um componente poderoso para o PTB que será o desejo de Ozano Brito de derrotar Joaquim Neto de todo jeito. Portanto é somente ler nas entrelinhas, acompanhar as ações de bastidores, avaliar as atitudes para comprovar que o nosso gestor vai querer Bruno Martiniano na prefeitura a partir de 2013.

A maior prova disso é a presença de Waldemar Borges, aliado prefeito, na convenção de Bruno Martiniano, isto também foi discutido com Ozano Brito, com toda certeza.

Câmbio
Dolar R$ 3,73
Euro R$ 4,23
Café Rota 232 ir para o canal
Vídeo
Vídeo
Curta nossa página