Perfil Empresa

Prego batido e ponta virada o vice do candidato do PSDB é Danilo Melo, será a repetição da chapa vitoriosa de 2004. Joaquim Neto e Danilo Melo.

Desfiliação em Massa do PPS

Eliseu Vieira tomou a decisão de se aliar a Bruno Martiniano sem discutir com os candidatos da legenda essa adesão.

Resultado: Maria da Saúde, Sílvia de Mandacaru, Júnior de Obras, Neguinho do Conselho, Mário Alves e Arãozito, filho de seu Arão Lins que está apoiando Bruno, levaram a lista com as suas desfiliações até o presidente do PPS,  Eliseu Vieira.

Além disto,  este grupo de pré-candidatos que não vão mais disputar a eleição decidiram em bloco apoiar a candidatura do ex-prefeito Joaquim Neto e Danilo Melo do PSDB.

Com a decisão de Charles da Madeireira de colocar o seu nome na disputa como candidato a prefeito de Gravatá, conforme foi definido na sua convenção que indicou Sílvia Gonçalves na vice, sendo portanto a primeira mulher a ser convidada para integrar uma chapa majoritária em Gravatá, num claro sinal de que Charles da Madeireira vai de fato inovar e criar história.

Para aqueles que só vêem a política daltonicamente (vermelho ou azul que misturando dá verde) e esta é a cor do PSC, não esqueçam que política se faz com votos. Na eleição passada Bruno Martiniano perdeu por 90 votos. E Luiz Prequé sem ser candidato teve 348 votos o que significaria a vitória de Bruno caso Prequé o tivesse apoiado.

A mesma coisa acontece agora, Joaquim Neto poderia ter convidado Charles da Madeireira para ser o seu vice, mas não fez outra opção, achando que Charles da Madeireira não iria ter a coragem de lançar o seu nome. Errou feio no seu prognóstico e gora vai ter que enfrentar Charles da Madeireira e Bruno Martiniano.

O livro A arte da Guerra nos ensina que quando temos dois inimigos, devemos nos aliar a um deles para derrotar o outro e depois nos afastamos daquele que veio ser nosso aliado, para poder derrotá-lo também. Assim Joaquim Neto de veria ter convidado Charles da madeireira para ser o seu vice e evitar deixar de ser prefeito por uma diferença abaixo de 1000 votos.

O número de votos é fixo. Não crescre. São aproximadamente 45 mil eleitores divididos para os três candidatos. A diferença entre um e outro vai ser pequena. Logo se Charles tiver apenas 1000 votos, o que é uma conta muito baixa, ele vai fazer com que um ganhe e outro perca.

Suponha que Bruno Martiniano tenha 20.930 votos e Joaquim  Neto 20.000 votos. O prefeito será Bruno Martiniano, entretanto, se Joaquim Neto estivesse com Charles da Madeireira poderia ter 21.000 votos e ganhar a eleição por 70 votos, o inverso também vale e pode ser aplicado para Bruno.

Portanto a definição de quem vai ser o prefeito de Gravatá vai passar necessariamente pela decisão de Charles da Madeireira de ter lançado o seu nome como candidato a prefeito de Gravatá.

Uma outra situação é Charles da Madeireira ter um bom discurso, articular a sua campanha de forma profissional, com bons profissionais e surpreender tendo um resultado inesperado. Já pensou o povo cansado do azul e do vermelho dar a carga no verde e ele ganhar.

Essa é a única surpresa da eleição: Charles da Madeireira ganhar, porque se ele perder não será surpresa para ninguém. Será o normal, o lógico. Agora ele ganhar, vai levar muita gente a loucura.

Não tem um vice mais adequado para Joaquim Neto do que Zeca da Charque, como foi ventilado no Portal GN.

José Joaquim de Lemos, mais conhecido como Zeca da Charque, é o pai do atual vice-prefeito João Paulo, que não quer disputar para vice novamente e prefere concorrer a um mandato de vereador. Zeca da Charque é um empresário bem sucedido do ramo de alimentos e preside a Associação Comercial e Industrial de Gravatá – Aciag, onde vem desenvolvendo um trabalho para a tração de investimentos para a cidade.

Como a relação do PDT com o PSDB (João Paulo – Joaquim – Zeca ) é muito boa, a candidatura de Zeca não sofreria restrições, nem serviria para dizer que Joaquim não tem nenhum vice para colocar.

Hoje a noite na convenção do PSDB vamos saber quem será o vice de Joaquim Neto e como disse antes a escolha do vice será fundamental para este início de campanha: quem escolher bem, sai bem e parte na frente.

Para quem não sabe, Ozano Brito ficou satisfeito com o não lançamento de um nome alternativo para ser candidato no seu lugar porque isso implicaria na necessidade dele apoiar este nome e não poder trabalhar nos bastidores para eleger Bruno Martiniano.

Com a não formação da terceira via Ozano Brito, nos bastidores, vem beneficiando a candidatura de Bruno Martiniano orientando os seus aliados, pelo menos aqueles que o seguem a apoiarem a candidatura de Bruno Martiniano e não irem para Joaquim Neto.

Tanto é assim que o PTdoB de Samy Lemos, o PTN de João Vascncelos, o PTC de Léo Giestosa e o PCdoB de Doca da Cavalhada e o PPS de Elizeu Vieira, só foram para Bruno Martiniano do PTB  depois de receber o aval de Ozano Brito. Já o PT foi por uma questão de afinidade com a Frente Popular do estado comandada pelo governador Eduardo Campos.

Assim teremos nesta eleição um componente poderoso para o PTB que será o desejo de Ozano Brito de derrotar Joaquim Neto de todo jeito. Portanto é somente ler nas entrelinhas, acompanhar as ações de bastidores, avaliar as atitudes para comprovar que o nosso gestor vai querer Bruno Martiniano na prefeitura a partir de 2013.

A maior prova disso é a presença de Waldemar Borges, aliado prefeito, na convenção de Bruno Martiniano, isto também foi discutido com Ozano Brito, com toda certeza.

Ainda não foi ontem que tivemos a informação a respeito do candidato a vice prefeito na chapa de Bruno Martiniano.

Bruno Martiniano quer Fernando Resende, vereador do PSB de todo jeito. Só que Luiz Prequé não aceita e quer colocar na vice o seu filho, presidente do PSB local, Rafael Prequé. A questão gerou impasse foi para o Recife, mas não teve consenso.

Waldemar Borges compareceu a convenção de Bruno Martiniano mas não resolveu nada. Veio apenas para sinalizar que ele quer e deseja uma aliança principal do PSB com Bruno do PTB e não com Joaquim Neto do PSDB.

Quem deve estar bastante chateado com essa história é Charles do Atacadão que já foi vice e deixou de ser mais de cem vezes. Ontem a noite antes da convenção Arnaldo Souza, irmão de Charles , me confirmou que o su irmão seria o vice de Bruno. Poucos minutos depois ele e seu grupo se retiraram do local da convenção e se dirigiram para a Pousada Por do Sol onde Charles Souza já o aguardava para comunicar que ainda não seria neste momento que o martelo seria batido com o seu nome, porque a questão da vice voltou a ser discutida com o PSB.

Bruno Martiniano deveria ter batido o martelo e colocado Charles Souza na sua vice, pois isso seria uma forma de mostrar lealdade a quem lhe vem sendo fiel durante toda esta montagem. É evidente que esta situação é constrangedora para Charles Souza, seu irmão Arnaldo e os aliados dos dois. Tanto é assim que não os vi mais no recinto da convenção, pode até que tenham voltado, mas não os vi.

É a política com toda sua crueldade, falta de amizade, de sinceridade e de honestidade, na sua mais prefeita forma a do interesse pessoal, sobre o interesse coletivo. Por conta disso tivemos uma convenção somente com candidato a prefeito e sem candidato a vice. É mais uma aberração dessa política carente de lideranças fortes como um Dr. Sebastião Martiniano para tomar decisões e mostrar quem tem o martelo na mão.

Mesmo sozinho, mesmo sem apoio de outros partidos, mesmo sem coligações Charles da Madeireira não desanima e lança a sua candidatura a prefeito constituindo a Terceira Via de Gravatá.

Ao seu lado como candidata a vice em sua chapa a ex-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca e ambientalista Silvia Gonçalves.

Esta será uma experiência inovadora na vida do empresário que pela primeira vez vai colocar o seu nome à disposição do povo de Gravatá para ver se a população deseja de fato uma mudança ou se prefere continuar na mesmice do azul e do vermelho.

Ontem durante a convenção ao lado dos pré-candidatos a vereadores de seu partido Charles da Madeireira destacou a importância de uma candidatura alternativa, dizendo que o que está em jogo é uma nova proposta para Gravatá.

 

Não vejo nenhuma traição no fato do PDT de Gravatá decidir pelo apoio a Joaquim Neto. Em primeiro lugar a relação de amizade entre Joaquim Neto e João Paulo sempre existiu e isso ficou claro quando João Paulo foi escolhido para ser o vice de Ozano Brito nas eleições passadas.

Em segundo lugar a relação política do PDT com o PSDB é muito mais forte do que com o PTB embora como pessoas João Paulo e Bruno se respeitem e mantenham uma boa relação. Em terceiro lugar só havia um nome que pudesse ser considerado como terceira via que era o de Charles da Madeireira.

Uma terceira via não se constrói do nada. Assim o grupo de partidos que tentaram a todo custo formar uma terceira via para encontrar um nome e substituir Ozano Brito esfacelou-se; quebrou-se; destituiu-se; esfarelou-se e cada um buscou o seu rumo. E sabe por quê? Porque os interesses pessoais falaram mais alto, cada um olhando para o seu umbigo.

Assim acusar o PDT de traição por ter ido para Joaquim Neto é acusar o PCdoB, o PTdoB, o PT, o PTN e o PTC por terem ido para Bruno Martiniano, para o PTB. A terceira via não saiu porque não quiseram o nome de Charles da Madeireira e porque o nome de Ivone Zarzar, no que pese ser uma senhora respeitável da nossa sociedade, não empolgou, não emocionou, não teve aquele tchan que tanto o líder quanto o eleitor querem.

Assim a terceira via de Gravatá se chama Charles da Madeireira que a mais de quatro anos trabalha o seu nome. Que teve a coragem de ir duas vezes a rádio dizer que era pré-candidato a prefeito contra Joaquim e contra Bruno. Coisa que ninguém teve a coragem de fazer e  que ontem a noite fez a sua convenção e lançou o seu nome como candidato a prefeito tendo a seu lado a guerreira ambiental Sílvia Gonçalves da Ama Gravatá.

Portanto e concluindo não existiu traição no ato de João Paulo e do PDT. Existiu isso sim o direito de escolher que é inalienável de todo cidadão e devemos defender isso com unhas e dentes porque se não estaremos sendo obrigados a fazer a vontade de alguns por conta da força e da imposição.

Ainda bem que vivemos numa democracia e é isto que nos faz caminhar com quem queremos, onde queremos e quando queremos. Aproveito para dizer que no meu caso particular que estava com Ozano Brito agora com a sua desistência e tendo três candidatos estou esperando o lançamento das plataformas de governo desses candidatos para escoher em qual deles vou votar.

Isto é cidadania!

A partir de agora, por conta das eleições, o nosso site rota232.com.br para a atuar de forma integrada com o blogdotomaz.com.br, evitando aos internautas ter que clicar em dois sítios para ter acesso as mesmas informações.

Assim o www.rota232.com.br e o www.blogdotomaz.com.br se interagem e tratarão das questões políticas da região do agreste. Este foi uma reivindicação dos nossos internautas que estavam confusos coma duplicidade de espaços.

Portanto, estaremos aperfeiçoando durante esta semana a nossa página, para que ela passe a conter as propagandas dos nossos patrocinadores; as colunas de nossos articulistas e os comentários de nossos leitores.

Sendo assim pedimos desculpas aos nossos internautas por algumas falhas que possam estar ocorrendo por conta dessas mudanças necessárias em função da Lei eleitoral.

Concluindo o rota232.com.br estará sendo direcionado para o blogdotomaz.com.br. Informamos que a qualidade, o conteúdo e a verdade continuarão sendo o norte das matérias divulgadas.

Prefeito de Petrolina valia o Recife

“Uma cidade que precisa ser reinventada. Como está  hoje, o Recife só pode lograr êxito dentro de um amplo debate de propostas e soluções cujo veredicto necessariamente  será dado pelo povo. A busca de uma candidatura de consenso entre partidos alimentados pelo governo e não apenas de aliados,  pode ‘cassar’ da população o direito de ouvir, de avaliar e de escolher.

O Partido Democrático Trabalhista bem que poderia exercer a democracia, permitindo ao deputado Paulo Rubem propor à população caminhos para que a decisão possa ser tomada por quem lhe é de direito: o povo.

Se é para escolher técnicos, que façamos concurso ao invés de eleições. O Recife provou e ao que parece não gostou. Afinal,  liderança não se impõe, liderança se conquista e o que Recife merece é uma liderança que venha do povo e não da ditadura do poder”.

A falta de coragem leva a maioria dos políticos para Eduardo Campos e o que foi dito acima pelo prefeito de Petrolina Júlio Lóssio com relação ao Recife, se aplica a muitas cidades de Pernambuco, inclusive a Gravatá.

Aqui nós temos todos os candidatos apoiando o governo Eduardo Campos e isto é uma vergonha. Falta projeto político como se tinha antigamente no tempo do PSD e da UDn e depois no tempo da Arena e do MDB.

Hoje é tudo uma salada só e faz juz ao ditado é tudo farinha do mesmo saco.

O presidente do PTB em Gravatá, Bruno Martiniano, recebeu esta semana, no escritório do partido na cidade, a visita do ex-prefeito Arão Lins de Andrade, acompanhado do filho José Ricardo e do também ex-prefeito, Arnaldo Lucena, para debater articulações políticas.

Exemplo de gestor devido as administrações bem sucedidas nas décadas de 50, 60 e 70, Arão é figura de extrema importância para política local. Diante disso, ele garantiu durante o encontro, apoio ao PTB e seus representantes nas eleições municipais deste ano.

Para o filho do ex-prefeito, José Ricardo, esse apoio vem com a sua aprovação, pois ele vê no PTB de Bruno Martiniano o mesmo compromisso que seu pai teve quando governante “Vejo no PTB de Bruno a mesma capacidade e determinação que meu pai teve” afirmou.

Câmbio
Dolar R$ 4,09
Euro R$ 4,57
Café Rota 232 ir para o canal
Vídeo
Vídeo
Curta nossa página